• Ficha TécnicaVer detalhes

    Nome descritivo

    Conjunto de ações voltadas ao desenvolvimento colaborativo e implementação de ferramentas de mensuração, avaliação e monitoramento dos serviços de transporte e da mobilidade na cidade, e de apoio ao desenvolvimento de tecnologias relacionadas à mobilidade.

    Situação encontrada

    O MobiLab - Laboratório de Inovação em Mobilidade da cidade de São Paulo - é uma criação da Prefeitura de São Paulo, a partir das Marchas de Junho de 2013, da demanda por transparência e da hackatona que as sucedeu. Foi criado almejando introduzir inovação e mudar o relacionamento da administração pública com a tecnologia e com eventuais colaboradores. Sua criação veio principalmente para melhorar a transparência e a qualidade de utilização dos dados brutos produzidos pela Secretaria de Municipal de Mobilidade e Transportes, Companhia de Engenharia de Tráfego e São Paulo Transporte. No momento, existe a necessidade de se promoverem mudanças nos procedimentos de seleção das start ups para programas de residência no MobiLab – hoje já há start ups envolvidas nesse programa de residência, que foram selecionadas em procedimentos conjuntos da SMT com a SPNegócios. Também se faz necessário o fortalecimento da política de mentoria desses negócios, facilitando a vazão de seus produtos para o mercado e tornando-os acessíveis e úteis aos usuários (momento em que pode se perfazer sua contribuição para a mobilidade da cidade) ou possibilitando a confecção sob medida de soluções para a própria SMT, as empresas a ela vinculadas e outras Secretarias ou empresas que desenvolvam ações relacionadas a mobilidade e transportes (o que tem potencial para diretamente influenciar positivamente a atuação da Prefeitura nesse campo).

    Resultados esperados

    Facilitação do processo de planejamento das políticas públicas na área da mobilidade ativa e cumprimento de meta do PlanMob (2015) em decorrência da condução da pesquisa anual. Estabelecimento de um contato mais próximo com os usuários e profissionais do transporte público municipal, o que poderá nortear as intervenções do Poder Público. Produção de tecnologia na área de mobilidade e transportes.

    Orçamento

    Recursos próprios Outros recursos
    Investimento R$ 1,4 milhões R$ 0,0 milhões
    Custeio R$ 0,0 milhões R$ 0,0 milhões
  • Execução OrçamentáriaVer detalhes

    Execução Orçamentária – 2017

    Recursos próprios Outros recursos Total
    Investimento R$ 0,000 milhões R$ 0,000 milhões R$ 0,000 milhões
    Custeio R$ 1,499 milhões R$ 0,000 milhões R$ 1,499 milhões
    Total R$ 1,499 milhões R$ 0,000 milhões R$ 1,499 milhões

    Para informações sobre os critérios para apuração da execução orçamentária, clique aqui.

    Informações Adicionais

    julho/2018

    O presente Projeto Estratégico corresponde às entregas relacionadas à produção de novas tecnologias e de pesquisas que suportem as políticas públicas da Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes (SMT). Grande parte dessas ações são conduzidas no âmbito do MobiLab, laboratório de dados abertos da Prefeitura de São Paulo, que oferece programas de residência e hospedagem para startups desenvolverem projetos de tecnologia afetos à área de mobilidade e transportes, contando com apoio das áreas técnicas da Prefeitura. Os custos apontados referem-se a despesas com pessoal da equipe técnica que atua integralmente no MobiLab, e com aluguel e manutenção do espaço diferenciado de coworking onde as atividades são realizadas. Esses custos estão no âmbito do contrato de prestação de serviços firmado anualmente entre a SMT e a São Paulo Transporte S. A. (em 2017, estava vigente o contrato 002/17-SMT.GAB). Também pertence ao escopo desse Projeto Estratégico a pesquisa anual de mobilidade, cujos resultados são utilizados para construção do indicador e mensuração dos índices relacionados à meta de aumento da participação da mobilidade ativa na cidade (Meta 26). Essa pesquisa foi conduzida em 2017 por parceiros da iniciativa privada que de alguma forma atuam em atividades afetas à mobilidade ativa, com participação da SMT e da Associação Nacional dos Transportes Públicos (ANTP) na concepção da pesquisa, e dessa última na sua tabulação e supervisão (a aplicação se deu por pesquisadores da Toledo e Associados). Seus resultados foram tornados públicos pela entidade financiadora e pela ANTP. Dessa forma, a condução da pesquisa não teve impacto no Orçamento Municipal.

Linhas de Ação
  • 37.1 Realizar 4 pesquisas sobre mobilidade ativa, conforme previsto no Plano de Mobilidade de São Paulo – PlanMob (2015) e com participação das Câmaras Temáticas do Conselho Municipal de Trânsito e Transporte relacionadas

    Regionalização
    Suprarregional

    Descrição do Indicador
    Pesquisas realizadas

    Status da Linha de Ação
    Em andamento

    Execução da linha de ação
    Valor Base 2017 2018 2019 2020 - Projeção para
    2017-2020
    1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem -
    Valores acumulados 0 1 1 - 4
    Valores por perí­odo - 0 1 0 -

    Último dado disponível: junho/2018
    Última atualização: julho/2018


  • 37.2 Desenvolver e implementar ferramenta tecnológica para dispositivos móveis para provimento de informações e avaliação em tempo real, pelos usuários, de aspectos do transporte público municipal

    Regionalização
    Suprarregional

    Marco
    Plataforma desenvolvida e implementada

    Previsão Inicial
    2º Semestre de 2018

    Status da Linha de Ação
    No prazo

    Último dado disponível: -
    Última atualização: janeiro/2018


  • 37.3 Desenvolver e implementar ferramenta tecnológica para avaliação consecutiva, pelos condutores, das condições do trajeto percorrido e elementos da operação no transporte público municipal

    Regionalização
    Suprarregional

    Marco
    Plataforma desenvolvida e implementada

    Previsão Inicial
    1º Semestre de 2019

    Status da Linha de Ação
    No prazo

    Último dado disponível: -
    Última atualização: janeiro/2018


  • 37.4 Conduzir 70 projetos de tecnologia na área de transportes, mobilidade e segurança no trânsito no âmbito do Laboratório de Inovação em Mobilidade da cidade de São Paulo (MobiLab)

    Regionalização
    Suprarregional

    Descrição do Indicador
    número de projetos de tecnologia conduzidos

    Status da Linha de Ação
    Em andamento

    Execução da linha de ação
    Valor Base 2017 2018 2019 2020 - Projeção para
    2017-2020
    1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem -
    Valores acumulados 9 9 17 - 70
    Valores por perí­odo - 9 0 8 -

    Último dado disponível: junho/2018
    Última atualização: julho/2018


Informações Adicionais
julho/2018
No âmbito do Projeto 37 (Mobilidade Inteligente), o MobiLab abriu inscrições para seus programas de hospedagem e residência de startups em fevereiro de 2018. Até o mês de julho, 11 projetos de tecnologia foram admitidos e estão sendo conduzidos com apoio de técnicos da Prefeitura. Os projetos vão desenvolver novas tecnologias para usuários de transporte público, contagem de passageiros de ônibus, um novo modelo de táxi por bicicletas, soluções para estacionamentos, entre outros.
janeiro/2018

O objetivo primordial do Projeto Estratégico Mobilidade Inteligente é trazer o compromisso da gestão com o desenvolvimento e implementação de projetos de tecnologia que solucionem os problemas da cidade na área de mobilidade urbana e segurança viária. A principal estrutura da Prefeitura responsável pelo desenvolvimento de projetos de tecnologia nessa área é o Laboratório de Inovação em Mobilidade (MobiLab). No âmbito do MobiLab, diversos projetos são conduzidos, principalmente por meio do programa permanente de residência e também por meio de concursos públicos, que selecionam projetos para atender demandas específicas da São Paulo Transporte (SPTrans), da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) ou da própria Secretaria de Mobilidade e Transportes. Ao longo do ano de 2017, nove projetos de tecnologia foram conduzidos (Linha de Ação 37.4). Dentre os projetos conduzidos, destaca-se: tecnologia para pagamento de tarifa do transporte público por meio do celular; painel de controle de dados de trânsito e transporte; aplicativo para definição de trajetos para ciclistas (roteirização); e dispositivo para registro de informações de trajeto de caminhões (“caixa preta” para caminhões). O presente Projeto ainda traz um compromisso de desenvolvimento de duas ferramentas tecnológicas específicas: uma voltada aos usuários de transporte público, para fins de avaliação do serviço, e outra voltada aos motoristas de ônibus, para que eles possam reportar eventuais intercorrências durante a viagem (Linhas de Ação 37.2 e 37.3, respectivamente). A primeira ferramenta será implementada por meio de plataforma para dispositivos móveis, no momento dois aplicativos já disponíveis no mercado estão em fase de testes para incorporação da funcionalidade, já a segunda ferramenta tecnológica será incorporada como uma funcionalidade extra em um equipamento já existente nos ônibus. No momento, a equipe técnica está avaliando as funcionalidades já existentes no equipamento e quais serão incluídas. Ainda no âmbito deste Projeto, encontra-se a condução anual de uma pesquisa para investigação da participação dos modais de transporte nos deslocamentos diários da população paulistana (Linha de Ação 37.1). Essa pesquisa, além de servir como subsídio para as áreas de planejamento da CET e da SPTrans, fornecerá o indicador para a Meta 26 do Programa de Metas (participação da mobilidade ativa na cidade de São Paulo). A primeira pesquisa foi conduzida em junho de 2017 e utilizada para obtenção do valor base para a Meta 26.